Dólar sobe e volta a ser negociado acima de R$ 3,80

No dia anterior, o dólar fechou em alta de 0,54%, vendido a R$ 3,7552.

0
55

 

Dolar — Foto: Reprodução: TV Globo
Dolar — Foto: Reprodução: TV Globo

O dólar opera em alta nesta terça-feira (13), após indicações do presidente eleito Jair Bolsonaro sobre inviabilidade de votação da reforma da Previdência neste ano, em dia de alívio nas tensões comerciais no mercado externo com a divulgação de conversas entre Estados Unidos e China.

Às 15h27, a moeda norte-americana subia 1,26%, vendida a R$ 3,8027. Veja mais cotações. Na máxima do dia até o momento, a moeda chegou a alcançar R$ 3,8121. Na mínima, R$ 3,7544.

Cenário político

Segundo a assessoria de imprensa do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, o economista Joaquim Levy aceitou convite para presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no governo Jair Bolsonaro. Quando chefiou o Ministério da Fazenda no governo de Dilma Rousseff, Levy atuou fortemente para tentar diminuir o rombo das contas públicas.

Nesta manhã, Bolsonaro anunciou a indicação do general da reserva do Exército Fernando Azevedo e Silva, atual assessor especial do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, para o cargo de ministro da Defesa.

Na véspera, o presidente eleito reconheceu que dificilmente a reforma da Previdência será aprovada neste ano.

“Por mais que o mercado precificasse que a reforma da Previdência não sairia este ano, havia alguma expectativa e, com ela caminhando para a não votação, gera algum desconforto”, explicou à Reuters o diretor de operações da corretora Mirae, Pablo Syper.

Exterior

De acordo com a Reuters, o dia é de alívio nas tensões comerciais no mercado externo após a divulgação de conversas entre Estados Unidos e China, mas com o noticiário político doméstico em foco e podendo conter movimentos mais intensos.

Na sexta-feira, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, retomou as discussões com o vice-primeiro-ministro da China, Liu He. Além disso, o principal negociador comercial da China, Liu He, pode visitar Washington para se preparar para as conversas entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o presidente chinês, Xi Jinping, na cúpula do G20 na Argentina neste mês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here