Operação apreende mais de R$ 400 mil em notas nacionais e estrangeiras na casa de João de Deus

Médium está preso suspeito de abusar sexualmente de mulheres durante tratamentos espirituais. Segundo Polícia Civil, embaixada dos EUA quer contribuir com investigações. Defesa nega acusações.

0
135

 

Dinheiro e armas apreendidos em casa de João de Deus — Foto: Murillo Velasco/G1
Dinheiro e armas apreendidos em casa de João de Deus — Foto: Murillo Velasco/G1

Uma operação da Polícia Civil apreendeu cerca de R$ 405 mil em moedas nacionais e estrangeiras na casa de João Teixeira de Faria, o João de Deus. O médium está preso suspeito de abusar de mulheres durante tratamento espiritual na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal. A defesa dele nega as acusações.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos, na terça-feira (18), na Casa Dom Inácio, onde o médium realizava os atendimentos espirituais, na residência dele, também em Abadiânia, e na Casa da Sopa, na mesma cidade. Conforme os investigadores foram apreendidas cinco armas, uma arma de brinquedo e diversas munições. Os armamentos, conforme a Polícia Civil, estão sem registro, uma delas sem numeração e João de Deus não tem permissão para posse de arma.

André Fernandes, delegado-geral da Polícia Civil, informou que a equipe responsável pelas investigações foi procurada pela Embaixada dos Estados Unidos da América (EUA), que disse querer contribuir. Segundo o investigador, eles receberam dados, que não foram divulgados, e têm interesse em saber se americanos foram vítimas do médium.

“Recebemos o contato da Embaixada dos Estados Unidos, em Brasília, que quer nos passar informações que receberam para descobrir se há vítimas norte-americanas. Ainda não fizemos este contato, porque precisamos ir até a capital federal, e isso deverá ser feito ainda esta semana”, disse o delegado.

Operação

Fernandes esclareceu que o dinheiro, as armas e munições foram encontrados em diferentes locais da casa onde João de Deus mora. Segundo ele, em armários, fundos falsos e outros locais.

“Em uma residência do investigado, foram achadas seis armas, todos o montante em dinheiro, em fundo falso no fundo de um guarda-roupas. Não sabemos o motivo pelo qual ele mantinha o armamento e essa quantia elevada de dinheiro. Ainda nesta semana vamos concluir um dos inquéritos”, explicou.

A situação atual

Investigação

João de Deus teve a prisão decretada na sexta (14) a pedido da Polícia Civil e do MP-GO, que investigam os relatos de abuso sexual durante atendimento na Casa Dom Inácio de Loyola. No domingo, ele se entregou à polícia em uma estrada de terra em Abadiânia.

O médium prestou depoimento na noite de domingo, durante três horas. João de Deus afirmou à Polícia Civil que, antes de as denúncias de abuso sexual virem à tona, foi ameaçado por um homem, por meio de uma ligação de celular. Além disso, negou os crimes e que tenha movimentado R$ 35 milhões nos últimos dias.

Segundo o advogado Alberto Toron, o pedido de habeas corpus foi protocolado nesta segunda-feira (17). Em entrevista no domingo, ele citou como alternativas possíveis uma prisão domiciliar e o uso de tornozeleira eletrônica. Além disso, negou que tenha havido intenção de fuga.

O jornal “O Globo”, a TV Globo e o G1 têm publicado nos últimos dias relatos de dezenas de mulheres que se sentiram abusadas sexualmente pelo médium. Os casos vieram à tona no programa Conversa com Bial de 7 de dezembro. Não se trata de questionar os métodos de cura de João de Deus ou a fé de milhares de pessoas que o procuram.