Venezuelano é espancado por brasileiros após suposto furto de desodorantes em Pacaraima, Norte de RR

Segundo um tenente da PM em Pacaraima, câmeras de segurança de um mercado flagram o roubo. Este é o terceiro caso envolvendo agressões entre brasileiros e venezuelanos em Roraima.

0
151

 

Venezuelanos foi espancado por brasileiros em rua de Pacaraima — Foto: Arquivo pessoal
Venezuelanos foi espancado por brasileiros em rua de Pacaraima — Foto: Arquivo pessoal

O venezuelano Jhon Lopes Palmas, de 40 anos, foi espancado por brasileiros do município de Pacaraima, cidade de Roraima que faz fronteira com a Venezuela, por suspeita de furtar desodorantes de um mercado local nessa quinta-feira (22).

Policiais militares foram acionados e impediram que os agressores continuassem com o linchamento. Após atender a ocorrência, eles conduziram o venezuelano para o Hospital Délio de Oliveira Tupinambá para receber atendimento médico, em seguida foi encaminhado à delegacia da região.

De acordo com um tenente da PM de Pacaraima, câmeras de segurança do mercado flagraram o momento em que o imigrante furta os produtos. Ao ser descoberto, ele teria sido imobilizado pelo gerente do estabelecimento e levado para dentro do comércio, onde foi revistado e os desodorantes encontrados e apreendidos.

Em seguida, foi entregue a uma multidão de pessoas que estava do lado de fora do estabelecimento, aguardando a saída do venezuelano.

“Ele foi visto pelos funcionários da loja que estavam monitorando as imagens. Ao sair ele foi rendido e uma multidão se aglomerou. As agressões se iniciaram e fomos acionados. Ao chegar ao local, muitas pessoas estavam o agredindo. Tivemos de usar gás lacrimogênio para dispersar os revoltosos”, conta o policial.

De acordo com o tenente, o estrangeiro teve sangramento pelo ouvido e outras partes pelo corpo.

“Ele ficou em observação no hospital. O médico o liberou após constatar que ele não corria risco de morte”, explica, acrescentando que o venezuelano foi levado à delegacia em seguida para prestar depoimento.

As pessoas envolvidas nas agressões, conforme o policial, podem ser investigadas. “Um ROP [Relatório de Ocorrência Policial] será entregue na delegacia para que a polícia dê prosseguimento [de investigar os envolvidos no espancamento], caso ache necessário”, conclui.

Imigrante foi levado para o hospital de Pacaraima após ser agredido pelos moradores do município — Foto: Alan Chaves/G1 RR/Arquivo
Imigrante foi levado para o hospital de Pacaraima após ser agredido pelos moradores do município — Foto: Alan Chaves/G1 RR/Arquivo

Confrontos entre brasileiros e venezuelanos

Casos de violência como esse já foram registrados em Pacaraima e Boa Vista. Na cidade de fronteira, brasileiros expulsaram cerca de 1,2 mil venezuelanos em agosto, após um assalto seguido de agressão provocado por imigrantes a um comerciante local. Na ocasião, os moradores do município destruíram e queimaram barracas e objetos pessoais dos estrangeiros.

No mês seguinte, em Boa Vista, um brasileiro foi morto por um venezuelano após tentar evitar um suposto furto a um mercado na zona Oeste da cidade. Logo depois do crime, um grupo de moradores espancou e matou o imigrante, gerando uma onda de revolta contra os estrangeiros.

À partir desses dois casos envolvendo conflitos entre brasileiros e venezuelanos, o Governo Federal aumentou a eficácia do processo de interiorização, realizado pela Operação Acolhida, do Exército Brasileiro. Desde abril, 3.136 imigrantes foram levados para 25 cidades em 12 estados do país. No último deles, dois voos foram realizados, levando 55 pessoas de Roraima para São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here