Polícia identifica suspeito de agressão e homofobia contra jovens dentro de colégio no Rio

Segundo os jovens, eles foram agredidos a pauladas. Um deles levou oito pontos na cabeça. Secretaria de Educação disse apenas que o assunto está a cargo da Polícia Civil.

0
97

 

A polícia do Rio já identificou o suspeito das agressões sofridas por dois estudantes dentro do colégio estadual Visconde de Cairú no Méier, na Zona Norte do Rio, na noite de segunda-feira (29). Um deles levou um golpe na cabeça e foi parar no hospital e diz que ele e o amigo foram vítimas de homofobia.

Os policiais já sabem, inclusive, onde mora o agressor. Ele é maior de idade, aluno do primeiro ano do ensino médio e estuda no turno da tarde.

“A ficha ainda não caiu, vai caindo aos poucos com o tempo. Agora, estou sem cabelo, careca, a gente vai aprendendo”, diz um dos jovens que, por medo, prefere não se identificar.

Segundo os jovens, eles foram agredidos a pauladas dentro da escola por outro aluno. Antes das agressões físicas, os jovens ainda foram ameaçados.

“Quando a gente está subindo escada, essa pessoa está descendo escada, olhando com ódio para a nossa cara. Chegando na segunda parte da escada, esse menino chegou atrás da gente, tirando a camisa, falando que ele não era viado, falando que ele ia matar a gente o tempo todo. Falando: “Vou matar vocês, não sou viado, vou matar vocês”, com cara de ódio, querendo vir para cima de mim”, diz uma das vítimas.

Os estudantes foram até a direção do colégio e denunciaram o que tinha acontecido. A direção do colégio checou as câmeras de segurança do prédio, mas o rapaz não foi localizado.

“O meu amigo caiu no chão e eu fiquei em estado de choque. Eu não sabia o que fazer. Logo após ele ter arriado o meu amigo, meu amigo caiu no chão e ele veio para cima de mim. Foi quando ele tentou acertar uma madeirada na minha cabeça também, mas eu desviei.”, diz o rapaz.

Jovem foi agredido dentro de colégio no Méier, na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução / TV Globo
Jovem foi agredido dentro de colégio no Méier, na Zona Norte do Rio — Foto: Reprodução / TV Globo

O agressor deixou o pedaço de madeira pra trás e fugiu junto com outros três jovens. Um dos alunos feridos foi levado pro hospital municipal Salgado Filho, no Méier, e precisou levar oito pontos na cabeça.

O caso foi registrado aqui na delegacia do Méier como lesão corporal. Os alunos agredidos trabalham durante o dia e estudam à noite e já decidiram que não vão voltar mais ao colégio. “O negócio é a marca que fica na nossa vida, porque isso é um trauma que a gente vai levar pelo resto da nossa vida. “, afirmou.

A secretaria estadual de Educação disse apenas que o assunto está a cargo da Polícia Civil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here